29º domingo do TC – Dia 21/10/2018

18/10/2018
cifsj

O Poder que não serve – Mc 10, 35-45  – Neste 29º domingo do TC temos a narrativa de uma cena “escandalosa”, por se tratar de seguidores de Jesus, o Servo dos servos. Jesus continua seu caminho para Jerusalém e vai advertindo seus discípulos sobre o desfecho de sua trajetória, na fidelidade ao Pai. Tiago e João, filhos de Zebedeu, se destacam do grupo e se aproximam de Jesus com um pedido estranho: ocupar um lugar de honra junto de Jesus. Seu pedido não é uma súplica de quem está doente ou faminto, mas uma ridícula ambição. Querem que Jesus os coloque acima dos outros.  Jesus vinha advertindo sobre a realidade que o aguardava, de sofrimento, injúrias, escárnio, rejeição e morte dos quais seria vítima. Os discípulos que estavam com ele 24 horas por dia, aproximam-se e pedem para ocuparem os primeiros lugares no Reino. Jesus parece um tanto surpreso ou mesmo decepcionado: “Não sabeis o que pedis”. Percebe que nada entenderam de tudo o que ensinou. Volta a convidá-los a pensarem sobre o verdadeiro seguimento, se são capazes de partilhar de seu destino doloroso. Num entusiasmo quase juvenil, afirmam: “somos”. Jesus confirma a participação na dor, mas não entra no jogo do poder que eles buscam. O poder pelo poder é uma enfermidade, cujo vírus chega a afetar muitos membros da Igreja e da VR. O pedido de Tiago e João é um fato grave. Jesus reúne os discípulos e lhes mostra que este modo de ser e de pensar leva à morte. Todos conhecem o projeto do império romano que tiraniza e explora o povo. “Entre vocês não deve ser assim”. É um poder que não serve, pois “quem quiser ser grande seja vosso servo; e quem quiser ser o primeiro, seja o escravo de todos”. A grandeza dos discípulos está no serviço que prestam aos outros. “Sentar-se” à direita ou à esquerda é busca de poder, de nada fazer, a não ser, ser servido. Em clima de campanha eleitoral no Brasil, a Boa Nova de Jesus, ouvida e assimilada, teria força revolucionária no atual contexto. Que o Espírito venha em nosso socorro. Ir. Zenilda Luzia Petry – FSJ