O alento de Deus

07/06/2019

O alento de Deus – Jo 20,19-23 – Festa de Pentecostes!  Festa da colheita! Festa da Missão! Após 50 dias de surpresas e manifestações do mistério da morte e ressurreição de Jesus, a Liturgia nos convida a contemplar o mistério da Terceira Pessoa da Santíssima Trindade. Festa de Pentecostes, festa da plenitude da manifestação do nosso Deus, coroamento de uma trajetória de revelação de Deus, festa do início da Igreja, dia do envio missionário por excelência. “No fim desse dia, que era o primeiro dia da semana…”. Assim inicia o Evangelho de hoje.  É o mesmo dia em que começa a nova criação. Os discípulos continuam amedrontados, pois o desconhecido e a perseguição geram muito medo. Mas a confiança volta quando Jesus se faz presente: “os discípulos sentiram a alegria de ver o Senhor”. O efeito do encontro com o Senhor é a alegria.  Agora inicia a missão dos discípulos/as: “disse-lhes de novo: a paz esteja convosco. Assim como o Pai me enviou a mim, eu vos envio também” (v. 22). Jesus deseja a paz para superarem o medo e sairem de si. A doação da paz não visa a acomodação pessoal ou a autorreferencialidade. A paz é condição da missão. O grande anúncio a ser feito ao mundo é a Paz e Bem de Jesus. A missão é tão essencial que Jesus já havia escolhido os seus em função da missão: “Eu vos escolhi e vos destinei” (Jo 15,16). O envio missionário dos discípulos está na mesma dinâmica do envio de Jesus: “Assim como a mim me enviaste ao mundo, também eu vos enviei ao mundo” (17,16). A missão deverá ser exercida na mesma dinâmica de Jesus: “mostrou-lhes as mãos e o lado”. Façam o que eu fiz e com o mesmo coração. Usem suas mãos para fazer o bem e vivam o amor que é próprio de um coração aberto. Amem até quem mata, quem transpassa o coração com a espada. O reino do mundo será sempre um opositor ao Reino de Deus. Para que a comunidade dos discípulos e discípulas tenham as forças para fazerem esta travessia, Jesus envia “o alento de Deus”, o seu sopro, o seu espírito. “Tendo falado isso, Jesus soprou sobre eles dizendo: Recebam o Espírito Santo”. O Espírito é a seiva da videira, é o Consolador, é o sopro de Deus, é o alento de Deus. A festa de Pentecostes encontra-se no contexto da missão. Foi pela missão de Deus no mundo que Jesus pediu que o Pai consagrasse os discípulos com a verdade. É o Espírito que consagra e envia. Movidos pelo dinamismo do Espírito, os discípulos e discípulas se entregam à obra de Deus em favor da humanidade. Vem alento de Deus, vem!  Ir. Zenilda Luzia Petry – FSJ

No comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *